A importância do Reiki

“Evoluímos” como seres espirituais aumentando nossa percepção sobre o que realmente importa nesta vida, sobre o nosso verdadeiro propósito encarnatório ” o autoconhecimento “.

O Reiki por si só já nos permite olhar para o nosso eu interior identificando o que devemos melhorar em nossas vidas, nossas atitudes, possibilitando assim, que possamos curar nossas próprias vidas. Este passo que deveria ser natural para quem busca o conhecimento, eleva ainda mais nossa consciência, nossa energia vital é potencializada e finalmente nos sentimos integrados em corpo, mente, emoções e espírito.
A força do Reiki toca nossos corações nesta tomada de consciência de uma forma que somente vivenciando podemos ter a dimensão dos seus benefícios ao nosso ser. Cada um é tocado de maneira diferente, mas todos nos completamos com esta energia abençoada, como se fosse reativado dentro de nossos corações o amor puro e verdadeiro, tornando-nos mais equilibrados, amorosos, pacienciosos, compreensivos e sábios.
O Reiki nos faz retornar para nosso caminho verdadeiro, àquele caminho que vai nos levar de volta ao nosso verdadeiro lar, com nosso espírito muito mais leve, puro, consciente, com sabedoria para a tomada de nossas decisões, enfim, mais amadurecido.
Não sentiremos mais necessidades de supérfluos, de nos iludirmos com as armadilhas do mundo material, pois conheceremos nossa própria verdade.
O Reiki abrange nosso autoconhecimento, purifica nosso espírito e assim podemos perceber a missão de nossas almas. Ele amplia infinitamente nossa percepção do que realmente tem importância nesta vida, quais são nossos verdadeiros valores enquanto seres humanos em evolução.
A energia canalizada é muito mais forte, pura e amorosa, preenchendo todo nosso ser.
Finamente, existem muitas estradas que nos guiam para nosso destino final, mas uma estrada muito segura e iluminada, sem desvios para nos perder neste caminho de volta à Fonte Criadora é o Reiki.

Boa sorte em suas escolhas, muita Luz no coração de todos !!!!

Aqui um relato de uma amiga, Valquíria Catarucci:

Após a iniciação em Reiki tive um “sonho” no qual estava sentada a mesa e ao meu lado era acompanhada por uma cachorra igual a que eu tinha e que faleceu em dezembro ( e que senti muito por isso) neste momento eu era japonesa e minha mãe e irmã me acompanhavam, eramos camponesas num campo de arroz.

Em janeiro nos dias anteriores ao dia 27 sentia muita energia  a entrar nos chakras dos pés, fechava os olhos mas via só as energias como antes. No dia 27 quando fechei os olhos vi uma energia de muita densidade dourada; isto aconteceu o dia inteiro havendo alternância as vezes para faixas densas nas cores dourada , vermelho rubi, laranja dourada e as vezes azul claro de uma tonalidade diferente e preto aveludado. No dia 28 andando pela rua havia muito rosa ao redor e saindo e entrando pelo chakra do coração, muito dourado também neste dia. Até a chegada da lua cheia estas energias principalmente a dourada foi intensa e densa. Quando a lua cheia chegou  havia muita energia branco prateada.  A sensação durante esse banho intenso de dourado foi de muito amor. Desde esse momento tenho visto mais energias douradas e a vermelho rubi.
Valquiria Catarucci

Escola de Pintura

“Outro dia um amigo me perguntou o que eu acho da vida. Resposta difícil não é? Vou contar como respondi.
Imagine uma escola de pintura. Ao entrar, você recebe uma tela em branco e encontra vários alunos pintando. Muitos estão trabalhando há anos e os quadros são de todos os tipos, desde obras maravilhosas até telas completamente destruídas. As tintas, os pincéis, e os materiais de pintura estão espalhados por toda a sala, alguns bem acessíveis, outros em locais bem difíceis. Apesar de ser uma escola, não há professores. É tudo por sua conta. O que você faria nesta situação? Pegaria qualquer pincel e simplesmente espalharia tintas em sua tela? Observaria os que estão trabalhando e tentaria imitar alguém talentoso? Juntaria sua tela às de outras pessoas e pintaria um grande painel em equipe? Tentaria criar uma obra original e aprender com seus próprios erros? Utilizaria apenas os materiais mais acessíveis ou batalharia para conseguir os materiais mais difíceis?
Volto a perguntar, o que você faria?
Na minha opinião, a vida é como esta escola de pintura. As pinceladas são nossas ações. Às vezes, damos pinceladas de mestre. Usamos o tipo certo de pincel, a mistura correta das cores e movimentos precisos. São as nossas boas ações. Aquelas que nos fazem dormir tranqüilos e com um sorriso no rosto. Outras vezes borramos todo o nosso quadro e pensamos: “Argh! Estraguei tudo. Não tem mais jeito”. Cogitamos até jogar a tela fora e parar com tudo. Vamos dormir arrasados e querendo morrer.É nesta hora que precisamos lembrar da escola de pintura. Não se desespere. Por mais borrado que seu quadro esteja, você sempre pode pegar um pincel limpo, as tintas certas e pintar por cima. Se você disse algo ruim para alguém, peça perdão. Se fez algo que não deveria, volte lá e conserte. Se deixou passar uma oportunidade de elogiar, procure a pessoa ou pegue o telefone e faça o elogio. Se teve vontade de acariciar alguém e não o fez, faça-o na próxima vez que encontrá-lo(a) e diga-lhe apenas que está acertando seu quadro, tenho certeza que você será compreendido.A única coisa que você não deve fazer é deixar os borrões aparecendo. Não interessa quão antigos eles sejam. Se eles estiverem lá, corrija-os. É corrigindo que aprendemos a não cometê-los e nos tornamos artistas cada vez melhores. Fazendo assim, não importa se teremos mais duzentos anos ou apenas mais um dia para nossa pintura, quando formos chamados para expô-la, ela estará perfeita. Talento, tenho certeza, todos nós temos.

Extraído do “Livro da Bruxa”, de Roberto Lopes

Clique aqui abaixo:

http://lilianpiccilli.com.br/cursos-servicos/