Sobre o Amor

O que posso falar do amor entre um homem e uma mulher?  Que é baseada na nossa própria percepção idealizada dentro de nossos desejos e sonhos.

O que procuramos no outro, enfim, é a nossa imagem idealizada. Sendo que, o que nos torna abertos a tudo isso é a incapacidade de nos voltarmos a nós mesmos.

O passado nos revela o quanto o ciclo se repete e nos sentimos incapazes de sair desse vício. Nos tornamos, muitas vezes escravos de nossas memórias negativas que acionam gatilhos indesejáveis, devido a essas atitudes repetitivas, às vezes inconscientes, baseadas em pequenas e falíveis percepções.

Quando buscamos na história da humanidade estereótipos das personalidades humanas,  facilmente nos identificamos com eles. Já é o começo da compreensão. Mas como a teoria se difere da prática, a coisa se complica. No dia a dia, a rotina torná-se  para algumas pessoas um massacre. Falta de entendimento, egoísmo, orgulho, competição, mina qualquer relacionamento. Existem várias fases no relacionamento. A compreensão disso já é um caminho para quem quer uma união sólida.

Na minha opinião, o verdadeiro amor nasce da admiração. Enquanto houver admiração, o amor tende a crescer. Mas se admiração for baseada na idealização e ilusão, a queda para a realidade é dolorosa e brutal quando se abre os olhos. O amor se cultiva no dia a dia sem dúvida. Os parceiros devem crescer juntos e tendo um objetivo em comum é mais fácil.

Nietzsche diz: “que o verdadeiro amor é uma grande amizade”. Para mim é correto, porque na amizade verdadeira há respeito mútuo, troca, confiança, compreensão e aceitação do outro como ele é.

Khalil Gibran diz: “Da mesma forma que o amor vos coroa, assim ele vos crucifica. E da mesma forma que contribui para o vosso crescimento, trabalha para a vossa poda”.

“Enchei a taça um do outro, mas não bebais na mesma taça. Dai vosso pão um ao outro, mas não comais do mesmo pedaço. Cantai e dançai juntos, e sede alegres, mas deixai cada um de vós estar sozinho. Assim como as cordas da lira são separadas e, no entanto, vibram na mesma harmonia. O carvalho e o cipreste não crescem à sombra um do outro”.

Se eu for analisar o amor de uma forma mais ampla, isto é, com uma consciência mais ampliada,  posso dizer que o amor  expressá-se no ser humano como uma tendência profunda de união e complementação. Isso devido ao homem estar polarizado no nível sentimental e instintivo, trazendo essa necessidade de canalizar para fora de si.  Portanto, nesse caminho do amor há o apego, pois não há compreensão desse impulso de união. Com a sabedoria há possibilidade de serenidade e desapego, trazendo ao conhecimento a necessidade real de cada um. O amor atrai e une, mas com a sabedoria há uma direção a seguir. Com a sabedoria você compreende sem pensar, não é analítico. Está ligado ao nosso corpo físico na região cardíaca, e só pode manifestar se essa região estiver desbloqueada, sem ressentimento e mágoa, para se perceber e expressar o verdadeiro amor.


Entusiasmo

A palavra entusiasmo vem do grego e significa “ter um deus dentro de si”. Os gregos eram politeístas. A pessoa entusiasmada era aquela “preenchida”
por um dos deuses e por isso poderia transformar a natureza e fazer as
coisas acontecerem.  Assim, se você fosse entusiasmado por Deméter (deusa da
Agricultura, chamada Ceres na mitologia romana) você seria capaz de fazer
acontecer a melhor colheita, e assim por diante.

Segundo os gregos, só as pessoas entusiasmadas eram capazes de vencer os
desafios do cotidiano, criar uma realidade ou modificá-la. Portanto, era
preciso entusiasmar-se, ou seja, “abrigar um deus em si”! Por isso, as
pessoas entusiasmadas acreditam em si, agem com serenidade, alegria e
firmeza. E acreditam igualmente nos outros entusiasmados.

Não é o sucesso que traz o entusiasmo, é o entusiasmo que traz o sucesso.

O entusiasmo é bem diferente do otimismo. Otimismo significa esperar que uma
coisa dê certo. Entusiasmo é acreditar que é possível fazer dar certo.
Que Deus mantenha nossa capacidade de acreditar, a cada manhã, que é
possível fazer dar certo!


Sincronicidade

Sincronicidade é um mecanismo do Plano Divino para despertar a Consciência Plena.Inicialmente, as coincidências começam a acontecer, pensa em uma pessoa e ela te liga, sonha com alguém e depois encontra essa pessoa, isso acontece, para poder despertar no íntimo uma elevação de ser e de sentir a vida… Sincronicidade é a casa do Pai Divino.
Quem compreende que tudo nasce, cresce e desaparece, está consciente no presente, vivendo o dia de hoje, esquecendo ou não se importando com o que passou, nem ficando ansioso pelo que virá, então, a sincronicidade fará você mudar sua maneira de se expressar.

Flexibilidade

Acredito que uma das atitudes que podem fazer grande diferença em nossas   vidas seja a FLEXIBILIDADE.

Imagino que uma das emoções que devemos cultivar, com objetivo de garantir o sucesso em nossas vidas, seja a capacidade de mudar a abordagem, mas se mantendo em direção ao nosso sonho.

Se prestar atenção recebemos SINAIS do Universo. São sinais para  agirmos simplesmente com mais FLEXIBILIDADE. Assim como eu, você já vivenciou situações que não tínhamos como “controlar”. E nestas situações se tivesse agido com FLEXIBILIDADE, como estaria agora?

Penso que a capacidade de ser flexível vai determinar o sucesso ou o fracasso a longo prazo.  Mas com certeza sendo flexível, a alegria será uma conquista em sua vida.

“Há riqueza bastante no mundo para as necessidades do homem, mas não para a sua ambição.” (Mahatma Gandhi)

“Que haja Amor, Compaixão e Paz entre todos os seres do Universo”

Provas de Amor

“Aos poucos eu percebi, que se apaixonar é inevitável, e que as melhores provas de amor são as mais simples. Um dia percebemos que o comum não nos atrai, e que ser classificado como bonzinho não é bom. Um dia percebemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você. Um dia saberemos a importância da frase: “Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa”.
Um dia percebemos que somos muito importantes para alguém, e que não damos valor a isso! Que homem de verdade não é aquele que tem mil mulheres, mas aquele que consegue fazer uma única mulher feliz! Enfim… Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século, esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer tudo o que tem de ser dito. O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras!” (Mário Quintana)